Uma nova espécie de tubarão, encontrado no Golfo do México, próximo ao litoral dos Estados Unidos será batizada com o nome de Eugenie Clark, cientista que morreu aos 92 anos. A americana deixou um legado de pesquisas importantes sobre o comportamento dos tubarões para a biologia marinha.

Eugenie Clark

A ictiologista fundou o laboratório Mote Marine e continuou trabalhando até morrer em 2015. O novo peixe será batizado de Squalus clarkae, mas também é conhecida como Dogfish Genie. A descoberta foi publicada em julho pela revista Zootaxa. Quem identificou a nova espécie foram o professor do Instituto de Tecnologia da Flórida (EUA), Toby Daly-Engel, Mariah Pfleger, autora principal e ex-aluna de Daly-Engel, Dean Grubbs e Chip Cotton da Universidade Estadual da Flórida (EUA).

Inicialmente eles tinham rotulado o tubarão como um Squalus mitsukurii, mas novos testes genéticos e morfologia, o estudo de um organismo através da aparência física, eles descobriram e classificaram o Dogfish de Genie como uma nova espécie.

Eugenie Clark

Os tubarões de águas profundas são todos modelados por uma pressão evolutiva similar, e acabam parecendo iguais“, explica o professor Daly-Engel. “Então, nós confiamos no DNA para nos dizer há quanto tempo uma espécie existe e, evolutivamente, quão diferente ela é”, acrescenta.

Como diretora e fundadora do laboratório Mote Marine, Eugenie Clark, estava muito familiarizada com o Golfo do México. Para um pioneiro no mundo da biologia de tubarões, é apropriado que a nova espécie de tubarão seja batizada em homenagem a ela”, finaliza Daly-Engel.