Um levantamento da Revista Nature feito em recifes aponta que os tubarões estão funcionalmente extintos por causa diminuindo por causa da pesca. A nossa atuação para evitarmos esse cenário, onde um animal tão importante  para manter o equilíbrio do ecossistema marinho.

O estudo usou uma rede de câmeras subaquáticas para constatar que os tubarões estavam ‘funcionalmente extintos’ em 20% dos recifes observados. Segundo Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais, esta classificação significa que a população reduzida não tem um papel significante no ecossistema ou quando a quantidade de reprodutores é tão pequena que ela não é capaz de se sustentar.

Dentre os fatores apontados pela pesquisa como os responsáveis pela redução da presença de tubarões em recifes, em pelo menos 58 países observados, foram a pesca predatória e o uso de métodos não-sustentáveis.  Entre os locais mais afetados são Catar, República Dominicana, Colômbia, Sri Lanka e o território americano de Guam. Uma característica comum em todos eles são a proximidade com populações humanas conjugada com práticas de governança muito fracas.

Os tubarões têm papel importante no equilíbrio do ecossistema marinho e, como estão no topo da cadeia alimentar, ajudam a controlar e manter a população de diversas espécies. Diferente do que do mito criado pela indústria cinematográfica, onde tubarões são vistos como predadores insaciáveis e monstros que habitam os oceanos.

Soluções possíveis

É importante ressaltar que nem tudo está perdido. Nós defendemos políticas públicas que possam promover o manejo sustentável da pesca com fiscalização nos períodos de defeso. Um outro ponto importantíssimo é a proibição da caça e comércio de tubarões. O Brasil está entre os países que mais consomem carne de cação (tubarão).

Com informações da BBC Brasil.