Lambaru

NOME CIENTÍFICO:
Ginglymostoma cirratum (Bonnaterre, 1788)

NOMES POPULARES:
Lambaru, lixa, barroso. Em inglês: Nurse shark, Carpet shark. Em espanhol: Tiburón-gata

CARACTERÍSTICAS::
Corpo arredondado com a cabeça larga e achatada e boca pequena. Cinco pequenas fendas branquiais muito próximas umas das outras. Possuem um curto barbilhão carnoso na margem de cada abertura nasal. Os olhos são pequenos. Dentes pequenos e dispostos em várias fileiras. As duas nadadeiras dorsais, com tamanhos semelhantes, estão posicionadas bem posteriormente. Caudal fortemente assimétrica. Comprimento total máximo de 4,3 metros e 400 kg. Mas em média apresentam um comprimento total de 2,5 metros e pesam aproximadamente 200 kg. A coloração é marrom-amarelado escuro no dorso, com flancos um pouco mais claros e ventre amarelado. Os jovens apresentam manchas escuras no corpo e pintas nas dorsais, que desaparecem com o crescimento.

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA:
Ocorrem nas águas tropicais e subtropicais das plataformas continentais do Atlântico e Pacífico. São raros no sul do Brasil.
VEJA O MAPA DE DISTRIBUIÇÃO

AMBIENTE:
São tubarões costeiros, habitam águas rasas e frequentemente vivem perto de recifes de coral e rochosos, possuem o hábito de descansar e se esconder em grutas e fendas durante a maior parte do dia. Como vivem associados ao fundo, são chamados de tubarões bentônicos. Encontrados em profundidades que variam de 1 a 130 metros.

ALIMENTAÇÃO:
Considerado um predador oportunista bentônico, o tubarão-lixa alimenta-se de peixes (bagres, tainhas e baiacus), moluscos bivalves, crustáceos (lagostas e camarões), cefalópodes e alguns invertebrados. Capturas suas presas através de forte sucção característica da espécie.

REPRODUÇÃO:
São ovovíparos. As fêmeas atingem maturidade sexual quando atingem 2,23 a 2,30 metros e entre 15 a 20 anos e os machos com 2,14 metros de comprimento e idade variando de 10 a 15 anos. As fêmeas produzem de 20 a 30 filhotes por ninhada, o período de gestação dura entre 5 e 6 meses e a reprodução é bienal. Os filhotes nascem com tamanho entre 27-30 cm de comprimento. A longevidade dessa espécie é desconhecida.
(*leia mais na página sobre reprodução)

AMEAÇAS:
Praticamente nada se sabe sobre o comportamento migratório e a conectividade entre as populações dessa espécie. Estudos preliminares sobre sua biologia indicam uma fidelidade muito forte do local onde vivem, o que torna estes tubarões vulneráveis a extirpação local e a sobreexploração. A espécie é extremamente vulnerável `a pesca costeira, capturados com linha de fundo, rede de pesca, além da captura acidental em pescarias de espinhel. É uma espécie de alvo fácil da pesca subaquática devido ao seu comportamento sedentário e dócil. O lambaru também é vulnerável a impactos costeiros indiretos, especialmente em áreas de recifes, que constituem o seu habitat principal.

CATEGORIA NO LIVRO VERMELHO DA IUCN:
Devido à falta de dados no Pacífico Oriental e Atlântico Oriental, e uma necessidade de maiores investigações sobre esta espécie nessas áreas, a espécie é avaliada atualmente como deficiente de dados globalmente. Mas a avaliação para a subpopulação Atlântica Ocidental é quase ameaçada de extinção. No Ibama, aparecem na Lista da Fauna Ameaçada de Extinção. Já não pode ser encontrada na porção sul da sua gama brasileira, sendo declarada localmente extinta no município do Rio de Janeiro e vulnerável no estado de São Paulo.

REFERÊNCIAS:
Froese, R. and D. Pauly. Editors. 2011.FishBase.
www.fishbase.org – acesso em 14/02/2010
Rosa, R.S., Castro, A.L.F., Furtado, M., Monzini, J. & Grubbs, R.D. 2006. Ginglymostoma cirratum. In: IUCN 2011. IUCN Red List of Threatened Species. Version 2011.2.. Downloaded on 23 March 2012

* fotos retiradas do site elasmodiver

2 Comentários para "Lambaru"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *