Galha-preta

NOME CIENTÍFICO:
Carcharhinus brevipinna (Müller & Henle, 1839)

NOMES POPULARES:
Tubarão-galha-preta, Serra-garoupa. Em inglês: Spinner shark. Em espanhol: Tiburón aleta negra.

CARACTERÍSTICAS::
Corpo alongado e focinho pontudo e longo. Olhos relativamente pequenos. Dentes pontudos e muito similares nas maxilas superior e inferior. Fendas branquiais relativamente longas. Primeira dorsal com o ápice arredondado. Apresentam o dorso cinza, com flancos acinzentados com uma fina faixa branca e ventre branco. A segunda nadadeira dorsal, anal, ponta das peitorais e lobo inferior da causal são enegrecidos. Nos espécimes jovens, ainda não apresentam essa coloracão nas nadadeiras. O comprimento total máximo registrado foi de 3,00 metros e 89,7 kg em peso. Em média, medem 2,50 metros.

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA:
O galha-preta é cosmopolita nas águas subtropicais temperadas-quentes e tropicais das plataformas continentais de praticamente todos os mares do mundo. No Brasil, distribui-se por toda a costa, sendo mais comum no sudeste-sul.
VEJA O MAPA DE DISTRIBUIÇÃO

AMBIENTE:
São animais bento-pelágicos, durante o verão costumam aproximar-se da costa para reprodução. A profundidade máxima encontrada foi de 100 metros.

ALIMENTAÇÃO:
Alimentam-se principalmente de peixes pelágicos (sardinha, arenque, anchovas, peixe-lagarto, tainhas, atuns…), pequenos cações, lulas, polvos e raias. Possuem uma técnica especial para capturar pequenos peixes: nadam veloz e verticalmente em direção a um cardume, abrem a boca e rompem na superfície abocanhando os peixes atordoados. Frequentemente saltam para fora da água, podendo realizar até 3 giros em torno do próprio eixo. São ativos e nadam velozmente junto `a superfície.

REPRODUÇÃO:
O comprimento de primeira maturação sexual se dá no intervalo de 1,70 a 2,10 metros. É uma espécie vivípara. As fêmeas têm um período de gestação entre 11 a 15 meses, nascendo geralmente de 7 a 11 filhotes que nascem com 60 a 75 cm de comprimento. o ciclo reprodutivo é bienal. A idade máxima registrada foi de 11 anos para uma fêmea.
(*leia mais na página sobre reprodução)

AMEAÇAS:
Como é uma espécie que no verão costuma-se aproximar da costa, devido ao fato de suas áreas de berçários serem próximas do litoral, tornam-se altamente vulnerável a pressão de pesca e modificações do habitat induzidas pelo homem. Comumente é alvo de pescarias tanto recreacionais como comerciais.

CATEGORIA NO LIVRO VERMELHO DA IUCN:
Próximo da extinção

REFERÊNCIAS:
Froese, R. and D. Pauly. Editors. 2011.FishBase.
www.fishbase.org – acesso em 14/02/2010
Burgess, G.H. 2009. Carcharhinus brevipinna. In: IUCN 2011. IUCN Red List of Threatened Species. Version 2011.2.. Downloaded on 23 March 2012.

* fotos retiradas do site elasmodiver